EconomiaArtigos

A Lava Jato é a culpada pela crise econômica?

Por Quê? Economês em bom português

14 de dezembro de 2017

A CONVERSA: O combate à corrupção foi longe demais, a ponto de atrapalhar a economia? Ou a melhoria das instituições do país vale a decadência de empresas como Odebrecht e da JBS?

NOSSA OPINIÃO: A Lava Jato não é a culpada da crise, mas realmente afeta as empresas. No longo prazo, tende a consolidar instituições melhores para o país – o que afetará a economia positivamente.

Combater a corrupção ajuda no crescimento econômico de longo prazo, mas pode trazer percalços para a economia no curto prazo — argumentam alguns analistas. Faz sentido. Empresas chamuscadas param de investir, por temerem envolvimento em leilões de concessão. Mais ainda: no olho do furacão da Lava Jato, ninguém sabe que revelações podem ainda aparecer, o que torna a atmosfera macro absolutamente tóxica, incerta ao extremo. Como se sabe, o investimento não curte uma incerteza…

Mas o problema com a tese de que a Operação Lava Jato é fator importante na explicação da recessão brasileira recente é o seguinte: logo antes das investigações, a política econômica era de péssima qualidade. Política fiscal, monetária, microeconômica, tudo fora dos trilhos. Tanto é que a confiança do empresário vinha caindo havia um bom tempo, muito antes das investigações Como saber se a recessão de 2015 e 2016 não é mais reflexo disso do que da paralisia gerada pela Lava Jato?

É difícil separar as coisas, mas ajuda olhar para outros episódios semelhantes para fazer a comparação.

Como assim “outros episódios”? No Brasil, essa é a primeira Lava Jato, é verdade. Mas uma operação quase idêntica — igualmente devastadora, com políticos e grandes empresários processados, e centenas de pessoas presas— já aconteceu em outras paragens. Mais precisamente na Itália, em fevereiro de 1992. O nome era diferente: Mani Pulite, “mãos limpas” em italiano.

Pois bem. Podemos olhar para as consequências econômicas de curto prazo dessa megaoperação em busca de uma espécie de estimativa para os efeitos gerados por tamanha incerteza política. Veja só:

Opa! Tutto bene!

Notem: não basta olhar para os dados da Itália apenas para inferir algo sobre o impacto de investigações no desempenho da economia. Outros fatores globais podem estar agindo simultaneamente, o que complica a identificação estatística dos efeitos. Por isso usamos a França como base de comparação, um “similar” próximo ainda que imperfeito. Como na França nessa época não rolou nenhuma “Mains Nettoyées”, a diferença de desempenho dos dois países, se alguma, seria indicativo do impacto da Mani Pulite.

O gráfico, talvez surpreendentemente, não mostra nenhum sinal de que as vultosas operações anticorrupção afetaram a trajetória do PIB italiano. Note como ele  segue de perto a trajetória francesa no período relevante (ambos em base 100 no primeiro trimestre de 1991).

Voltando a Pindorama, algumas empresas brasileiras importantes, com destaque para a estatal Petrobras e a privada Odebrecht, estão mais do que enroladas no esquema de propinas desbaratado pela Lava Jato. É razoável imaginar que a ruína dessas companhias jogue contra a atividade econômica nacional. Mas, sem dúvidas, a Lava Jato precisa seguir adiante. Se a operação for capaz de romper com a relação nada republicana entre as esferas pública e privada hoje vigente, ganha o Brasil. Mais transparência e melhor uso do dinheiro público colaboram com o crescimento econômico. Keynes dizia que estaremos todos mortos no longo prazo. É verdade, mas nossos filhos e netos não.

SUA OPINIÃO:

Este conteúdo contribui para elevar a qualidade do debate no Brasil?

SIM NÃO

Cansado da falta de diálogo que
contamina a política no Brasil?

+ MAIS ARTIGOS
Play
Raio EconomiaVídeos Sem sonegação, a Previdência estaria quebrada?

A CONVERSA: É só cobrar os devedores do INSS? Ou mudanças são inevitáveis nas aposentadorias?

Por Quê? Economês em bom português

Play
InfraestruturaVídeos CIDADE CIDADÃO | SANEAMENTO

A CONVERSA: Você sabia que...

Por Quê? Economês em bom português

Play
EconomiaVídeos Altos salários no setor público | Porque sim não é resposta! #16

A CONVERSA: O Brasil tem...

Gustavo Santos Ferreira | Por Quê?

Play
EconomiaVídeos Reforma da Previdência: do economês para o bom português

A CONVERSA: Pagaremos mais impostos...

Por Quê? Economês em bom português

Play
EconomiaVídeos A reforma trabalhista ferra o pobre? | Porque sim não é resposta! #17

A CONVERSA: Mudanças na CLT...

Gustavo Santos Ferreira | Por Quê?

Play
Raio InfraestruturaVídeos Por que metrô mais ônibus é igual menos trânsito?

A CONVERSA: Altura de edifícios deve ser limitada? Ou verticalização melhoraria a qualidade de vida?

Por Quê? Economês em bom português

Play
Raio Meio ambienteVídeos Quem são os ‘vilões’ do desmatamento da Amazônia?

A CONVERSA: Maior risco para a floresta são os líderes do agronegócio? Ou pequenos produtores?

Por Quê? Economês em bom português

Play
EconomiaVídeos Legalização da maconha | Porque sim não é resposta! #09

A CONVERSA: Para diminuir crimes...

Gustavo Santos Ferreira | Por Quê?

Play
EconomiaVídeos Desmatamento e Tragédia dos Comuns | Porque sim não é resposta! #13

A CONVERSA: Quando os recursos...

Gustavo Santos Ferreira | Por Quê?